21 de nov de 2007

Vida

Subindo a montanha do sacrifício
Desafiando valente aos elementos
Curioso, bordejando mil precipícios
Coração sofredor buscando alimento

As pedras vivas rolavam ameaçantes
O vendaval açoitava a tenacidade
O frio paralizava o amor terno infante
A névoa encobria a vera luz da verdade

Fatigado pensei não querer poder mais
Decidi sucumbir... condescender
Adentrei na escura cova de famintos animais
Para que conformadamente devorado
Eu pudesse morrer

Porém, ao meu lado, um vulto se fez visível
Me carregou em seu braços de pura excelência
Apaziguou minha angústia imperecível
Me cobriu com seu manto de conciência

Conduziu-me ao caminho da minha montanha
Explicou o quão dura a vida pode parecer
Porém, assegurou estar sempre comigo
Iluminando meus olhos!
Para a beleza do caminho, enfim perceber

Ainda subo a montanha com sacrifício
Desafiando valente aos elementos
Caminho decidido mesmo entre precipícios
Mas descobri que a vida é um imenso portento.

Andréa S. Cristo

Nenhum comentário: