13 de ago de 2008

Falsos... Tolos... Pobres...

Falsos, tolos, pobres
De espírito...
Aparentando ser nobres
E empíricos...
Pretendendo mudar o mundo
Do mundo são juízes e clínicos?
Fracassando em mudar a própria realidade
Da sociedade robótica, são mímicos...


Alçam estandartes
Em “benévolas” milícias
Perdedores em combate
Leigos sem perícia
Verborreicos em debate
Ingênuos em pura malícia
Dizem-se de parte da verdade
Mas na verdade são sordícia


Dizem-se contra isso ou aquilo
Num tom soberbo retórico impreciso
Caolhos reinando entre míopes e cegos
Arrastando consigo este ror indeciso


Falsos, tolos, pobres
De palavra...
Aparentando ser nobres
Num campo estéril sem lavra...
Pretendendo mundar o mundo
Mas do mundo são parte da praga...
Fracassando em mudar a própria realidade
E curar suas próprias limitações, taras e chagas.
____________________________________________
____________________________________________
Andréa Cristo