25 de jan de 2009

Amando-Re-Mi

Eu sou o que você lê
Sou o que você vê
Tudo o que você crê
Amando...

Teria vivido uma do-vida cantando
Risos imensos minha-ré-boca seria
Amores intensos mi-nh’alma gozando
Nunca foi-fá-sempre eterna alegria!
Semente no ventre a arte engendrou
Mulher do abismo o barro soprou
Untou sua aura com luz diamante
Tecendo a palavra de todos instantes
Amando...
Nadou no oceano que adormecia
Dotada da brisa e da ventania
Origem das rimas que estás entoando.

Antes de tudo sem mais nem depois
Gemeram um “sol” tais palavras douradas
Ouviram um “lá” neste um entre dois
Rumo-si-norte, duma estrada sagrada...
Amando...
.
.
Amem...
.
.
Andréa Cristo

Nenhum comentário: