25 de jan de 2009

Conspiração

Conspiração

E meu tempo que passava,
Passando, passou…
Escrevendo minha estranha biografia,
Em cenários multicores me colocou
Apostando por talentos que eu teria...

Com o destino, o tempo conspirou,
Decidindo a peça que eu representaria...
O jogo que eu deveria dominar,
Longos anos, minha resistência testaria...

Não morri,
Porque o tempo ainda não conspirou com a morte,
Não enriqueci,
Porque o tempo ainda não conspirou com a sorte,
Só cresci e me fortaleço,
Pois o tempo,
Com meu próprio mal conspira,
Para que aprenda a ser cada vez mais forte
Contra este mesmo mal que me inspira
Ai este mal... esta torre... este suporte...
Edificado onde devieria estar o sucesso
Ai sucesso, que por fracasso,
Não é o que tanto me importe...

Ora...
Não me curei,
Porque o tempo ainda não conspirou com a cura,
Não me diciplinei,
Porque o tempo parece mas não é ditadura!
O tempo é o vehículo da escolha na gravidade da vida
Que não acabo de acertar no alvo,
Com minha cabeça dura pelos golpes amolecida.

Ainda não conspirei com o tempo
Para derrubar enfim,
Algumas daquelas velhas estruturas,
Construidas com dor e amargura,
No terreno do amor infinito que há em mim.


--------

--------

--------


Andréa Cristo

Um comentário:

LuizC disse...

Olá, belo blog, repleto de poesias lindas, isso me faz acreditar q o não editado ainda é a melhor opção para quem busca novidades. Parabéns. Espero sua visita em www.luizc.blog.com.br bjs.