21 de jun de 2009

1:11

No peixe da teia
A sede,
Que morre em tua boca
A ceia,
Deixando essa moça
No cio,
Que fio que tece
Tua roupa?
Espinhas e escamas
Nas meias,
Netuno que escuta
A sorte,
Do canto de certa
Sereia,
Que nada no sul
Do teu norte...
Pescando o prazer
Oh consorte,
Navego teu corpo
Na areia...


_________________
Andréa Cristo



3 comentários:

Érica disse...

Amei de paixão! Você já pensou em musicá-la??? Imaginei o som, daria uma linda música, na sua voz então...
Beijos

O Profeta disse...

Nasceu!
Nascem a todo o instante
Os sentires vindos da alma
Tatuados a cada semblante

Um beijo na tua procura
Um abraço fica suspenso
Um sorriso desponta da tristeza
Um olhar prende o momento


Boa semana


Doce beijo

rhuan luiz disse...

Bela poesia.